CONFIANÇA É TUDO!
Entre em contato: 11 4583 8700

Agência Nacional de Águas (ANA) destaca situação da água no Brasil

Agência Nacional de Águas (ANA) destaca situação da água no Brasil
souto
água

38 milhões de pessoas foram afetadas por secas e estiagens no Brasil em 2017. Ao mesmo tempo, o total retirado de água nas últimas duas décadas aumentou cerca de 80%.

Estes são alguns dados divulgados pelo relatório da Agência Nacional de Águas (ANA), publicado recentemente. Segundo a agência, a retirada total de água estimada em 2017 foi de 2.083 m³/s, sendo que seus principais usos no Brasil:

Irrigação (52%)

Abastecimento humano (23,8%)

Indústria (9,1%)

Juntos, estes setores representaram cerca de 85% da retirada total. Volumes menores foram utilizados para matar a sede de animais (8,0%), termelétricas (3,8%), consumo rural (1,7%) e mineração (1,6%).

Metas para 2030

A ANA ainda divulgou a meta para o reúso não potável no Brasil é de aproximadamente 13m³/s até 2030. Esse número representa 4% do total de água reutilizada no mundo. Ao mesmo tempo, neste mesmo período, a retirada de água no Brasil deve aumentar 24%.

No total de outorgas de direito de uso de recursos hídricos já emitidas, a ANA contabilizou quase 8.500 válidas em julho de 2017 e os órgãos estaduais, mais de 75 mil autorizações.

Leia aqui relatório na íntegra.

Por que usar água de poço artesiano quando se tem rede pública?

Três fatores pesam bastante na hora de optar por um poço artesiano. Confira!

Controle sobre a qualidade: a água de poço artesiano vem diretamente do aquífero, sem passar por processos de terceiros.

Independência: a rede de abastecimento público pode falhar. Além disso, em épocas de crise hídrica, as situações de racionamento com falta de água em algumas horas do dia são recorrentes. 

Custo-benefício: o que você irá economizar a longo prazo na conta de água compensa o gasto inicial, além do conforto e tranquilidade.

Fale com a Jundsondas!

Download